A horta

Texto de J. Alves postado em 05/02/2020

Plantei em sementes pensamentos
no quintal de minha mente
e quando amanhece
abro as janelas e escancaro as portas
corro às pressas à minha horta
para ver se já brotaram, se já cresceram.

Fico ali no silêncio a comtemplar
as sementes que germinam lentamente,
rompem o chão sem violência,
como pedindo licença para passar
e que crescem invisivelmente a olhos vistos
que meus olhos nem percebem nem pressentem.

Às vezes me espanto:
como cresceram  à minha ausência
imperceptivelmente lançam raízes no lodo
denso  minha mente
e fazem de mim plantação de sonhos
que sobem como trepadeiras pelos cantos,
uns  se alastram mudos, outros se agarram a prantos, 
uns choram de fome, outros gritam de sede e de aflição,
outros enfim se misturam à terra que esconde suas dores
e bebem de antigas e novas mágoas
e procuram no desespero a vida no pouco húmus
que meu chão pisado encerra, terra batida e gasta
por tantos pesares e vagos sonhares.
22/11/2007

Comentários (1)>>Clique aqui para comentar
Toninha alves
Voce e demais...PALAVRAS TAO SABIAS ,E TERNAS.
EU TE AMO.
27/03/2009
Bornal das Letras - Portal do escritor J. Alves

© Copyright - www.bornaldasletras.com.br - Todos os direitos reservados.