Santo do dia

14 de Agosto - S. Maximiliano Kolbe - Nossa Senhora da Boa Morte

S. Maximiliano Kolbe
1894-1941 - presbítero, fundador e mártir
Natural de Zdunska-Wola (Lodz), Polônia, em 1907 Kolbe ingressou na Ordem dos Frades Menores Conventuais e foi ordenado em Roma, em 1918. Já em 1917 havia fundado a Milícia de Maria Imaculada e, em 1922, a revista mariana Cavaleiros da Imaculada de larga difusão. Mais tarde, em 1927, surgia a Cidade da Imaculada, formada por um convento e vasto parque gráfico, onde centenas de religiosos e de leigos empenhavam-se na publicação e divulgação da “boa imprensa”, sobretudo da devoção à Maria. Pouco antes da invasão nazista, a Cidade da Imaculada foi evacuada, ali permanecendo apenas Kolbe e um grupo de religiosos que depois foram presos e levados para os campos de concentração de Amtitz. Chegaram a retornar à Cidade da Imaculada, mas em janeiro de 1941 a Gestapo retornou e prendeu Kolbe e quatro religiosos e os deportaram para Auschwitz. Mesmo sofrendo de tuberculose, Kolbe foi submetido a trabalhos forçados e a terríveis
atrocidades. Em julho de 41, ofereceu-se para morrer no lugar de Frank Gajowniczek, justificando-se ao comandante nazista que ele, como padre, era sozinho, mas Frank tinha mulher e filhos. Dos dez condenados à escura cela da morte, ele foi o último a morrer, com uma injeção letal.

Nossa Senhora da Boa Morte
A tradição diz que Maria foi avisada da proximidade de sua morte pelo anjo Gabriel. Inconformados, os apóstolos não aceitavam a idéia de separar-se dela.

Maria, então, consolou-os dizendo que iria se reunir a seu Filho. Quando Nossa Senhora morreu, Tomé não estava presente.

Desolado, foi ao túmulo vê-la mais uma vez, quando notou que o sepulcro estava vazio. Apenas um suave perfume exalava do local da "dormição", como os Padres da Igreja afirmavam.

Devido à sua santa e boa morte, a Mãe de Deus tem sido invocada como a Protetora dos Agonizantes.

 

 

 

PRECE

DO BOM PASTOR
Foto: Basílica de N. Senhora Aparecida, Aparecida do Norte - Brasil.Deus, nosso Pai, no vosso Espírito renovais todas as coisas.

Vivificais o que definha. Endireitais o que vacila. Aos que se encontram sozinhos e sem ter a quem recorrer, estendei logo vossas mãos e os levantais. Aos que tudo falta, fartai-os com a abundância de todos os bens. Aos que estão cansados da vida, despertai de novo os seus sonhos, fazei-os levantar e acreditar mais uma vez.

Aos que não conseguem se acertar na vida, enviai vossas anjos para os orientar. Aos que erraram de sentido e andam a esmo, mostrai a direção. Aos que já não vos invocam com simplicidade, retirai suas vendas. Aos que andam cansados de lutar, dai a eles novo alento e fazei surgir novas esperanças.

Para os que vivem aflição e já não têm lágrimas para derramar, dai-lhes novas forças e guia-os por um caminho certo. (cf. Sl 23).

Olhai para nós, Senhor! Suscitai-nos um espírito novo.



Bornal das Letras - Portal do escritor J. Alves

© Copyright - www.bornaldasletras.com.br - Todos os direitos reservados.