Santo do dia

19 de Janeiro - S. Margarida Bourgeoys - S. Volstano

S. Margarida Bourgeoys
séc. XVII - religiosa e fundadora - “Margarida” além de “pérola” lembra a flor do mesmo nome.

Margarida Bourgeoys foi a fundadora da Congregação de N. Senhora de Montréal. Aos 20 anos, quis ingressar na vida religiosa, mas foi recusada pelas carmelitas e clarissas pobres. Em 1653, partiu com o governador para o Canadá, onde se tornaria mestra-escola da comunidade francesa de Ville-Marie, próxima de Québec. Em 1658, abriu a primeira escola de Montreal, abrigando 12 crianças. Animada por profundo amor aos pequeninos, enfrentou toda sorte de dificuldades para ver realizada sua obra missionária. Não desejava apenas amar as crianças, mas também fazer-se amada por elas. Bondosa, alegre, simples, despojada, era estimada por todos. Morreu no dia 12 de janeiro de 1700.

S. Volstano
1008-1095 - bispo

S. Volstano nasceu em Warwick, Inglaterra. Após a morte dos pais, foi ordenado sacerdote por Britégio, bispo de Worcester. Pouco tempo depois, fez-se monge e, mais tarde, em 1062, bispo de Worcester. Não cuidava apenas do povo necessitado, mas também dos monges. Celebrava, batizava e rezava junto com o povo. Repreendido por tal postura, confessou não existir coisa mais agradável a Deus que trazer para a verdade os que se extraviavam por culpa, muitas vezes, dos próprios pastores. Foi amado e querido por todo o povo, indistintamente, pobres e ricos, cultos e incultos. Morreu com 87 anos de idade em 1095.

TESTEMUNHAS DE NOSSO TEMPO

Otávio Ortiz e companheiros – Sacerdote, 35 anos, comprometido com os oprimidos, e quatro estudantes e catequistas, assassinados em El Salvador, em 1973.

PRECE

DO AMOR ETERNO

Deus, nosso Pai,

o vosso amor é para sempre e nele somos reconfortados

em nossas necessidades.

Porque nos amais desde sempre, vivemos;

porque nos destes a vida e a preservais,

nós vos louvamos; porque vossa misericórdia é eterna,

soerguemos; porque estais conosco, prosseguimos;

porque nos conduzis, não tememos as adversidades;

porque ressuscitastes glorioso, ressurgimos;

porque estais conosco, superamos todo o medo, desconfiança e temor.

Em repouso ou despertos, na tristeza e na alegria,

no trabalho e na oração, em todos os momentos,

vós nos dais alento chamando-nos pelo nome.

Errantes, apressais em nos buscar.

Feridos pela dor, sarais nossas chagas.

Mesmo na escuridão, vós nos indicais o caminho.

Por tudo isso nosso coração exulta de alegria.

Em vós, rochedo, escudo, muralha indestrutível,

nosso espírito se abriga.

Da vossa luz, nossos olhos se enchem de canções

e nossos ouvidos de claridade sem limites. Amém.



Bornal das Letras - Portal do escritor J. Alves

© Copyright - www.bornaldasletras.com.br - Todos os direitos reservados.