Santo do dia

20 de Julho - S. Aurélio - Padre Cícero Romão Batista

S. Aurélio
430 – bispo  "Aurélio" vem de "sol", daí aquele que brilha como o ouro.

Aurélio, bispo de Cartago de 392 a 430, influenciou a Igreja da África. Amigo de Agostinho de Hipona, aconselhava-se com ele e sempre contou com seu apoio na luta contra as heresias. Ao tempo em que presidiu a Igreja na África, convocou 36 concílios locais para tratar de questões relativas à fé. A seu pedido, Agostinho escreveu o tratado Do trabalho monástico, em que repudiava o comércio que alguns monges faziam com relíquias de mártires.

Padre Cícero Romão Batista
1844-1934 - sacerdote

Natural de Crato (CE), Pe. Cícero foi uma das personalidades mais importantes da história daquela cidade e região. Por elas lutou e dedicou toda a sua vida. No dia de Finado de cada ano, grande multidão de romeiros visita seu túmulo, na Capela do Socorro, em Juazeiro. Polêmico, é uma das figuras mais biografadas do mundo, com cerca de 200 livros sobre a sua vida. Amado e querido pelo povo, desde sua morte seu culto foi consagrado pelo povo. É invocado com a seguinte
oração:

Ó Deus, Pai dos pobres, inflamastes o coração do Pe. Cícero com um grande amor para com os desamparados, sem casa e sem terra e o transformastes no Grande Conselheiro do povo nordestino e no zeloso incentivador da devoção ao rosário e da veneração de N. Senhora das Dores. Recompensai, pois, esse grande apóstolo com o descanso de sua vida atribulada e com as alegrias do paraíso. Fazei surgir padres voltados à pobreza material e espiritual do povo que busca a salvação, para que nos ajudem a aumentar a nossa fé, única riqueza verdadeira. Que N. Senhora da Dores, Mãe fiel ao pé da cruz, dê força ao nosso pedido e nos alcance o que desejamos.

TESTEMUNHAS DE NOSSOS TEMPOS

Massacre de Coyá * Cerca de 300 pessoas foram mortos na Guatemala, em 1982. Mario Mujia Cordoba * Operário, professor, agente de pastoral, mártir dos trabalhadores da Guatemala, em 1978.

PRECE

DA AMIZADE
Figura: Divulgação.
Deus, nosso Pai, em Jesus vos fizestes nosso amigo leal, fiel e confidente da paz. Que a vossa presença amiga nos acompanhe hoje em todos os momentos. Pela fé, sintamos o rumor dos vossos passos chegando à nossa morada, vossa voz nos chamando pelo nome, o ruído dos trincos das cancelas e portas se abrindo, as palmas, os passos pela casa adentro anunciando a amizade e a alegria da vossa chegada. Pela fé, sintamos vossas mãos tocando nosso ombro como as de um velho amigo... O riso das amizades todas reunidas soando pela casa inteira quais risonhas crianças... A vida recomeçando e recobrando alento no abraço amigo daquele que nos amou primeiro, que tomou sobre si nossos erros e por nós deu a própria vida. E escutemos a sua voz: “Não tenham medo; animem-se, pois eu, o Amigo, o Mestre, estou aqui” (cf. Is 35,3ss).



Bornal das Letras - Portal do escritor J. Alves

© Copyright - www.bornaldasletras.com.br - Todos os direitos reservados.