Santo do dia

24 de Janeiro - S. Francisco de Sales - Paula Gambara

S. Francisco de Sales
1567-1622 - místico - “Francisco” quer dizer “franco, livre”. É o patrono dos escritores e jornalistas.


Natural da França, Francisco de Sales sonhava com o sacerdócio, mas esperou pacientemente por 30 anos para ter a certeza de que esta era a vontade de Deus. Um dia, foi surpreendido pela própria espada, que, por três vezes, se desprende da bainha e se dispõe no chão em forma de cruz. Viu nesse evento um desígnio divino. Recém-ordenado, partiu para a Suíça com a idéia de lá converter os calvinistas. Por três anos andou errante, passou fome, sede, frio, humilhações e risco de vida; e tudo isso para não converter uma alma sequer. Mesmo assim não desanimou e, com paciência, escrevia e enfiava debaixo das portas trechos de sermões. Já bispo, conheceu, em 1604, em Dijon, França, Joana de Chantal. Com ela aprendeu o
caminho da comunhão com Deus e resgatou o valor da mística para o povo cristão. Doravante, ser santo não será mais privilégio de religiosos, mas a vocação de todo o cristão. Neste sentido, dirige aos fiéis dois de seus mais famosos escritos: Tratado do amor de Deus e Introdução à vida devota.

Paula Gambara
ca. 1473-1525 - leiga - “Paula” quer dizer “pequena”.

Natural de Brescia, Paula foi ofendida e humilhada pelo marido, que a trocou por "outra" que com ela convivia sob o mesmo teto. E quando a “outra” caiu enferma, cuidou dela até a morte. Por fim, com sua perseverança e oração conseguiu mudar o coração do marido, que passou a admirá-la e respeitá-la. De comum acordo, ingressou na Ordem Terceira de S. Francisco de Assis. Mais tarde, com a morte do marido, distribuiu os bens aos pobres e entregou-se ao serviço de Deus.

 

 

 

PRECE

DA COMUNHÃO COM DEUS

Deus, nosso Pai,

quisestes que a nossa vida fosse plena de sentido e de força,

por isso nos fizestes para a comunhão profunda convosco

e com nossos irmãos.

Por meio de atos concretos de serviço ao próximo,

nossa comunhão convosco se intensifique e nossa alegria interior se plenifique.

Nada sobreponha à amizade, à concórdia,

à lealdade e ao bem de todos.

Pela caridosa compreensão, superemos erros,

preconceitos de raças, de culturas,

de credos políticos e religiosos.

A retidão nos faça unos na multiplicidade,

autênticos nas diferenças e livres de coração

para o acolhimento de nossos semelhantes.

Não caçoemos das falhas nem dos fardos alheios.

Tenhamos consciência das enfermidades do egoísmo

e orgulho e do peso da fragilidade que verga a condição humana.

Busquemos o perdão das ofensas,

a conversão do erro, sinal sensível da vossa presença libertadora e recriadora.

Ajudai-nos a crer que no encontro fraterno nos encontramos convosco,

Deus vivo e verdadeiro, Deus de amor eterno.



Bornal das Letras - Portal do escritor J. Alves

© Copyright - www.bornaldasletras.com.br - Todos os direitos reservados.