Cava funda

Texto de José Benedito postado em 22/05/2021

     Você me mostra a fonte,

como uma epifania

de róseas e púrpuras cores 

e tudo inunda 

com a magia de tanto beleza

e você me oferece a água a correr

por entre as gretas da cava funda.

Por um instante, me debruço

e mato minha sede ingente,

e me vou pensando em você,

contemplando o sol nascente

e sei que voltarei outra vez

e tantas vezes mais

e buscando matar a sede nas águas

que brotam serenas nos veios

da fonte da cava funda e desaguam

no oceano de meu bem-querer .

Comentários (0)>>Clique aqui para comentar
Seja o primeiro a comentar.
Bornal das Letras - Portal do escritor J. Alves

© Copyright - www.bornaldasletras.com.br - Todos os direitos reservados.