A dor mais doída

Texto de José Benedito postado em 22/05/2021

 A dor mais doída 

não é aquela que dói à luz do dia,  

quando tudo é claro e manifesto.

 

A dor mais dolorida 

é aquela que dói quando a noite desce

e tudo se esconde por detrás de sombras 

e de rumores de coisas caídas 

e se está sozinho, à deriva,

no silêncio que grita e arrocha a agonia,

e, no fundo, vemos que só em Deus 

que nos abraça 

havemos de ter consolo e guarida

para recriar nosso coração esmagado

e refazer nossa alma puída.

Comentários (0)>>Clique aqui para comentar
Seja o primeiro a comentar.
Bornal das Letras - Portal do escritor J. Alves

© Copyright - www.bornaldasletras.com.br - Todos os direitos reservados.